O dia nojento de uma borboleta

Queridasssssssssssssssssssssss sibilando como de costume, estou aqui para mais um simples texto, hoje um daqueles de deixar o Marquês de Sade ou nosso querido Oscar Wilde de cabelos em pé. Como toda boa voyeur que se preze recebi de uma de nossas companheiras de convívio social estreito, o convite para ir conhecer um novo posto de observação voyeurístico, uiiiiiiiiiiiiiii la fui eu, linda, por minha conta, com minhas lindas e belas unhas negras, dar um passeio de Metrô, coisa que deveria valer um feriado nacional, já que não sou adepta de tal necessidade imposta a muitos, pela condição ordinária desse país mais ordinário ainda, que não provem seus cidadãos de um Metrô que valha a pena, pois as condições subumanas que as pessoas de bem, trabalhadoras e cidadãs desse pais em decadência tem de se submeter, por conta dos vários Lulas que existem ainda a solta por ai, coisa que espero, humildemente, seja extirpado das necessidades dessa classe operaria, que adorou por anos um animal, ou melhor, um canibal social feito o Lula original, que deixou a míngua essa tão querida classe de pessoas, que tem a necessidade de se locomover por um meio de transporte tão nojento quanto às cozinhas das casas desses politicos corruptos devem ter.

Uiiiiiiiiiiiiiiii amarga eu estou e fiquei mesmo foi quando cheguei ao lugar e me deparei com cena mais nefasta do que o próprio Sade poderia esperar. Um lugar ignóbil onde rolava uma verdadeira suruba de seres nefastos e feios, que eu não conseguia me mexer de tanta gente entrando e saindo, afinal que lugar é esse? Sim um banheiro, uma verdadeira latrina onde seres ignóbeis se pegavam como se fosse fim de feira. O banheiro do Metrô Parque Dom Pedro, que deve estar virado na tumba, de ter seu nome colocado num lugar que até acho que entendi o nome, pois as cortes portuguesas só mandaram lixo para nós brasileiros, começando por seus regentes, então, vendo por esse prisma, o nome até que é bem adequado à situação que me deparei por lá.

Sexo chulo correndo a solta, pega pra capar de verdade. Não que eu ache que gente feia não tenha tesão, mas aquilo que eu vi foi gente necessitada de uma boa surra e apedrejamento, tipo “joga bosta na Geni” nessas pessoas de condições sexuais pervertidas, e não estou falando de condição social, pois vi muitas conhecidas passando para uma simples pegadinha, conhecidas mesmo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, se eu fosse colocar nomes nesse texto seria morta kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. O pior foi ver sexo animal feito por gente, como se fossem animais, sabem por que digo animal? Porque eles, os animais, não tem o dever social de usar preservativo, já as cadelas que eu vi, nenhuma estava usando nada. Camisinha elas não devem nem saber o que é e daí que me vem a raiva de ver como o ser humano é nojento nas suas predileções sexuais. Dá vontade de bater nessas disseminadoras do HIV. Bareback mesmo, na cara dura. Deu realmente vontade de vomitar ao ver como essas “coisas” (ou pessoas) e aqui vão aspas mesmo, tem coragem de copular sem dar o menor valor a própria vida ou a vida dos outros.

E pra você que esta torcendo o nariz ou me apontando o dedo por eu estar sendo tão chula por escrever essas linhas é porque aqui fora, nas boates e nas festas das ricas e bem nascidas, a coisa é igual ou pior, pois aí ainda tem as drogas que vocês usam, suas nojentas. Vocês são todas iguais, não tem consciência de se cuidarem, fazem bareback na cara dura e ainda chamam isso de balada voyeur, tipo essa balada nojenta que esta virando moda das finas e bem nascidas, pois lá vocês têm de pagar caro para entrar e torcer para que isso faça o visual dos frequentadores ficar mais bonito. Sim tô falando e não dando nomes. Se dêem por contentes de eu não falar os seus nomes, pois eu conheço várias finas que não saem desses lugares e que não vão só para assistir, por vicio como o meu, de ser voyeur, vão para foder mesmo. Agora eu pergunto: por que não usar preservativo? Sim camisinha, que é de graça. Dada na entrada, pelo menos isso. Alguns donos de tais baladas ou saunas e até bares que eu conheço fornecem camisinha na entrada e vocês não tem medo de AIDS? Vocês não estão nem aí, se estão disseminando essa doença maldita e isso não é coisa só de gays não, os héteros são muito piores e mais nojentos. É só sair pelas casas de swing por ai e ver como tudo virou uma Sodoma e Gomorra. E não me venha chamar de puritana não, pois o que estou falando é a mais absoluta verdade, enfim suas nojentas, tomem vergonha em suas caras, sejam elas bonitas ou feias, e se protejam. Eu vou parar por aqui, pois sei que não adianta nada falar, escrever ou mostrar vídeos, vocês são uma raça viperina, mas eu digo e aviso, o final disso tudo é bem feio, disso vocês podem ter certeza. Chega!!! Vou vomitar. Até a próxima, pois eu estou apenas começando kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk sou a gorda Kaká, não sou santa, mas uma coisa eu sei, eu não sou nojenta como vocês.

Nenhum comentário :

Postar um comentário