A DIVA

Perfil da Diva Kaká di Polly

Nome: Kaká di Polly
(Kaká para os íntimos)
Idade: 50 e alguns
Altura: 1,81
Peso: 150 (variável de acordo com a estação data festiva do ano, porque eu brilho, mas não sou de ferro!)
Olhos: Azuis e sensualmente estrábicos
Manequim: GGGGGGGGG
Sapato: 44
Signo: Aries
Cor preferida: preto


Sobre Kaká di Polly: Deluxe Plus Size Drag Queen

Quem não gosta de uma boneca de luxo? Agora imagine uma boneca de luxo em tamanho gigante!


Assim é Kaká di Polly, personagem que ganha vida no ator Carlos Alberto Pollycarpo.

Vestida sempre com visuais  E X U B E R A N T E S, que esbanjam luxo, Kaká oferece 150 quilos de alegria e é considerada, pela mídia e por muitos, "A Dona da Cidade".

Amada e cultuada pelos maiores nomes da noite paulista, brasileira e, de fato, internacionalmente reconhecida como uma das figuras mais marcantes do cenário LGBT, Kaká alça voos ao marcar presença V.I.P., como animadora, apresentadora de shows humorísticos, hostess e em telegramas animados, além de dublagens clássicas.

Kaká esteve presente em todos os 19 anos de Parada LGBT de São Paulo, que já foi considerada a maior do mundo por vários anos consecutivos e, para quem não sabe, foi peça fundamental para que a primeira edição acontecesse em 1997, ao se deitar em meio à Av. Paulista, para que a polícia não impedisse a realização da Parada e, com isso, conseguiu que a mesma seguisse seu curso. Assim então aconteceu a I Parada LGBT de São Paulo.

Com uma carreira de 38 anos, amiga de famosos como Elke Maravilha, Leão Lobo, Mama Brusqueta e da nata do mundo LGBT, como Dimmy Kieer e Nany People. Kaká faz parte de um período da cena gay totalmente diferente do que existe hoje. Viveu entradas teatrais triunfais e foi aplaudida nas boates, fez as taças de cristal nas mãos, cheias de champagne, durante a noite toda, ser sua marca, esbanjou, esnobou, deu o nome. Hoje Kaká critica a juventude da música eletrônica na qual ninguém conhece ninguém.

Kaká, que sempre escreveu para revistas e jornais do meio LGBT, resolveu fazer o seu próprio jornal, o Atitude, onde além de ter a palavra, dava a grandes nomes do meio LGBT o poder de escrever o que pensavam. Apesar do esforço e da boa vontade, como covardemente acontece com os veículos de comunicação, não teve anunciantes para levar adiante seu projeto, pois o "pink money" para os donos de casas noturnas é muito bom de entrar nos bolsos, mas para sair... Enfim Kaká resolveu dar um tempo.

Com a chegada dos 50 anos, Kaká deu uma acalmada, mas jamais deixou a polêmica de lado, jamais se calou diante do que não aprovava e, principalmente, jamais deixou de dar conselhos às amigas e principalmente às novatas, fazendo questão de "batizar" as mais gordinhas com o sobrenome "di Polly".

Kaká definitivamente não veio ao mundo para passar despercebida. Seus 150 quilos de charme, alegria e exuberância não permitem isso. Chama atenção mesmo, principalmente por caprichar e fazer questão de brilhar, com suas roupas repletas de strass e cristais swarovski. Kaká é puro glamour, luxo e beleza. "Falem o que quiser falar, mas que falem de mim", assim ela gosta de gritar aos sete ventos e também: "Digam que 'A Dona da Cidade' chegou", uma brincadeira que pegou e que ela adora.

Essa é uma pequena descrição de quem é essa mega estrela chamada Kaká di Polly.